Novas regras para automação comercial

Posted by: Eduardo  :  Category: automação comercial

Uma medida publicada na última segunda-feira no Diário Oficial deve impulsionar o mercado brasileiro de automação comercial, que movimentou cerca de R$ 2,75 bilhões em 2012. Agora, empresas de micro e pequeno porte têm novas especificações técnicas para seus sistemas fiscais, muito menos complexas que as exigências anteriores. Com isso, o software necessário será bem mais simples e, consequentemente, mais barato.

A expectativa da Associação Brasileira de Automação Comercial (Afrac) é que a medida impulsione a adoção de tecnologia pelos varejistas que ainda não são informatizados, ou seja, cerca de 70% do total, de acordo com estimativa de Luis Garbelini, vice-presidente da Afrac “Até agora as regras eram bastante complexas, pois eram aplicadas para empresas de varejo de todos os portes. Agora as micro e pequenas têm sua própria regulamentação”, explica. Para ele, a medida tende a atrair as empresas que querem automatizar o serviço, mas que antes consideravam o investimento muito alto.

As novas regras, que entram em vigor em junho, valem para as empresas que se encaixam sistema de tributação simplificada (Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), o Simples, utilizado por companhias que faturam entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões por ano. Para se ter ideia do tamanho deste mercado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem 3.187.641 MPEs do comércio no Brasil, de acordo com dados referentes ao ano passado.

A FS Automação e Informática possui soluções completas para automação comercial.

Código de proteção IP – O que significa?

Posted by: Eduardo  :  Category: Coletor de Dados, Impressora Portátil, Leitor de Código de Barras

O código de proteção IP (Ingress Protection) classifica equipamentos no que se refere ao nível de proteção contra objetos sólidos (incluindo partes do corpo como mãos e dedos), poeira e água do gabinete de produtos elétricos e leitores de código de barras /coletores de dados / impressoras portáteis.

O código de proteção IP é composto por 2 números, sendo o primeiro referente a partículas sólidas e o segundo a proteção a líquidos. Caso o produto não tenho nível de proteção, o número é substituído por X.

Abaixo a tabela de nível de proteção a partículas sólidas:

Nível Tamanho dos objetos Proteção efetiva
0 Sem proteção com contato e inserção de objetos
1 >50 mm Qualquer superfície grande do cardo, como costas e mãos, mas não protege contra contatos deliberados de partes do corpo
2 >12.5 mm Dedos e objetos similares
3 >2.5 mm Ferramentas, fios grossos, etc.
4 >1 mm Maioria dos fios, faches de fenda, etc.
5 Protegido contra poeira Não protege totalmente contra poeira, mas a quantidade que entrar não vai interferir no funcionamento do equipamento; totalmente protegido contra contatos
6 Totalmente protegido contra poeira Totalmente protegido, não deixando entrar nenhuma poeira; totalmente protegido contra contatos

Abaixo a tabela de nível de proteção a líquidos:

Nível Proteção Testado para Detalhes
0 Sem proteção
1 Respingos de água Pingos de água (caindo verticalmente) sem nenhum dano efetivo. Duração do teste: 10 minutos
Equivalente a uma chuva de 1 mm por minuto
2 Respingos de água quando rotacionado até 15° Pingos de água na vertical , não deve haver dano efetivo se o equipamento for rotacionado até um ângulo de 15° a partir de sua posição normal. Duração do teste: 10 minutos
Equivalente a uma chuva de 3 mm por minuto
3 Borrifamento de água Água caindo como borrifos em qualquer ângulo até 60° a partir da vertical, sem nenhum dano efetivo ao equipamento a partir da vertical, sem nenhum dano efetivo ao equipamento. Duração do teste: 5 minutos
Volume de água: 0,7 litros por minuto
Pressão: 80–100 kPa a uma distância de 3m
4 Respingos de água Respingos de água contra o gabinete, em qualquer direção, sem nenhum dano efetivo ao equipamento. Duração do teste: 5 minutos
Volume de água: 10 litros por minuto
Pressão: 80–100 kPa  a uma distância de 3m
5 Jatos de água Jato de água vindo de um bocal de 6,3mm contra o gabinete, em qualquer direção, sem nenhum dano efetivo ao equipamento. Duração do teste: pelo menos 3 minutos
Volume de água: 12,5 litros por minuto
Pressão: 30 kPa a uma distância de 3 m
6 Jatos fortes de água Jato forte de água vindo de um bocal de 12,5mm contra o gabinete, em qualquer direção, sem nenhum dano efetivo ao equipamento. Duração do teste: pelo menos 3 minutos
Volume de água: 100 litros por minuto
Pressão: 100 kPa a uma distância de 3 m
7 Imersão até  1 m Não deve ser possível entrar água em quantidade prejudicial quando o produto for submerso sob condições definidas de pressão e tempo (até 1m de profundidade). Duração do teste: 30 minutos
Imersão a uma profundidade de pelo menos 1m, medido da parte inferior até pelo menos 15cm da parte superior do produto
8 Imersão além de 1 m O equipamento é adequado a imersão contínua em água sob condições que devem ser especificadas pelo fabricante. Normalmente isso significa que o equipamento é hermeticamente selado. Entretanto, em determinados tipos de equipamentos, isso pode significar que a água pode entrar em quantidade que não apresenta dano ao funcionamento do equipamento. Duração do teste: imersão contínua em água
A profundidade pe especificada pelo fabricante

No caso dos leitores de código de barras comercializados pela FS Automação e Informática tem código de proteção de pelo menos IP42 e os coletores de dados começam em IP54. As impressoras portáteis também possuem proteção IP, pois estão suscetíveis a poeira e água.

Código Data Matrix, o futuro do códigos de barras

Posted by: Eduardo  :  Category: Leitor de Código de Barras

O código Data Matrix é um código 2D que permite inserir informações alfanuméricas, tendo a capacidade de até 1556 bytes e 2.335 caracteres alfanuméricos.

Os códigos Data Matrix tem forma retangular, sendo geralmente quadrados, e são compostos de “células”, pequenos quadrados que representam bits. São compostos por duas bordas adjacentes em formato de “L” (definem a orientação e localização) e as outras duas bordas são compostas de células “brancas” ou “pretas” (definem a quantidade de linhas e colunas do código). Quanto mais informação possuir o código, maior será o número de linhas e colunas.

A principal aplicação do Data Matrix é a rastreabilidade de produto, pois é possível inserir informações como Lote de Fabricação, Validade, Código do Produto e Número de Série.  No Brasil, o Data Matrix está sendo adotado para rastrear medicamentos, onde é possível saber quem, fabricou, transportou e comercializou o medicamento, dessa forma todos os estabelecimentos de saúde, incluindo farmácias e hospitais, deverão ter leitores compatíveis com o Data Matrix.

Sendo um código com a capacidade de muita informação, sua utilização está crescendo nas mais diversas áreas.

Data Matrix ECC 200

A nova versão ECC 200 permite reconstruir o código totalmente mesmo com até 30% do código danificado. O Data Matrix possui uma taxa de erro de leitura menor que 1 em 10 milhões de caracteres lidos.

Como ler Data Matrix

Para a leitura do código Data Matrix, é necessário leitores de código de barras 2D ou coletor de dados 2D que fazem a captura via câmera. Todas as impressoras de etiqueta imprimem códigos Data Matrix.

A FS Automação e Informática comercializa leitores de código de barras, coletores de dados e impressoras de etiquetas para a utilização dos códigos Data Matrix.

DS4208_LG_US-EN

Histórias do Código de Barras

Posted by: Eduardo  :  Category: Leitor de Código de Barras

O código de barras que conhecemos atualmente e que está presente em todos os produtos vendidos no varejo, começou a ser utilizado em 1974 nos Estados Unidos. No Brasil, o código de barras começou em 1984. A evolução dos códigos de barras não pararam desde sua criação, existindo atualmente uma série de códigos, alguns dedicados especificamente para empresas de correios, código efetivamente de barras e outros que chamamos de códigos 2D como o QR Code e o Data Matrix.

Com a adoção do código de barras internacionalmente, houve a necessidade de padronização doo códigos de barras, foi então criado a EAN que regulamenta o padrão dos códigos e define o código de cada produto. O código mais comum é o EAN-13  que foi definido pela GS1,  possui 13 dígitos distribuídos da seguinte forma, em produtos de varejo:

  • os 3 primeiros dígitos identificam o país de origem (o Brasil possui o código 789)
  • os próximo 4 a 6 dígitos representam a identificação do fabricante
  • os 3 dígitos seguintes identificam o código do produto
  • o último dígito é o código verificador para certificar que todo o código está correto

 

Como os códigos de barras EAN-13 são mundiais e a quantidade de empresas e produtos estão aumentando, em breve os códigos EAN-13 deverão ser substituídos por códigos 2D, que permitem muito mais informações. Esses códigos serão abordados em outros posts.

Existe uma série de leitores de código de barras disponíveis no mercado, com diferentes tecnologias e capacidades. Para ver alguns deles, consulte o site da FS Automação e Informática.

Leitor de código de barras LS1203

Bem Vindo

Posted by: Eduardo  :  Category: Sem categoria

Bem vindo ao Blog da FS Automação e Informática. Aqui falaremos das tecnologias e suas aplicações, lançamentos de novos produtos e assuntos referentes a automação e informática de modo geral.